sábado, 21 de novembro de 2009

Nem fim do mundo nem vampiro!


Não sei o critério utilizado pelos distribuidores de filmes para a escolha das datas de estreias nos cinemas. Faz pouco tempo, entraram em cartaz duas superproduções que devem bater recordes de bilheteria: 2012, mais uma história americana sobre o fim do mundo, e Lua Nova, a continuação do super-mega-ultra badalado Crepúsculo. Sem muito alarde, simultaneamente a esses dois blockbusters, também estreou 500 dias com ela (Days of Summer). Não vi os dois primeiros nem sei se vou ver, mas este último é uma delícia! Se eu fosse você, não perderia de jeito nenhum.

Trata-se de um filme brilhante, pois consegue ser pra lá de original mesmo falando de um tema pra lá de batido: ele e ela. É complicado escrever sobre um filme sem apresentar detalhes que “entreguem o final”. Admiro as raras sinopses que não adiantam quase tudo sobre a obra. Sem querer estragar eventuais surpresas, posso dizer que o filme fala de um jovem que se apaixona por uma mulher que – what a big surprise! – não acredita no amor!

Há muito a ser apreciado: a trilha sonora de demasiado bom gosto, os olhos da protagonista, os diálogos espertos, o roteiro não-linear, as várias cenas bem sacadas, a homenagem ao clássico “Annie Hall”, de Woddy Allen... Mas o que enche os olhos, o que marca mesmo é a maneira honesta de falar sobre algo quase sempre nocivamente idealizado ou lamentavelmente banalizado: esse tal do "amor".

7 comentários:

  1. Meu caro,
    O filme "500" é, de fato, muito bom! Mas, onde você pôs "amor", eu poria "paixão". Quanto a "Lua Nova", nem abstraindo muito dá para suportar tanta ruindade.
    Por último: gostou do festival Woddy Allen no CCBB?

    ResponderExcluir
  2. Caríssimo,
    As questões semânticas envolvendo os vocábulos "amor" e "paixão" ficam pra depois.
    Lua Nova, talvez, será apreciado em dvd.
    E não fui ao CCBB ver o gênio. Investi meu tempo no irritável ato de me irritar vendo o irritante time do Flamengo empatar com o Goiás! Que irritação!

    ResponderExcluir
  3. Segui seu conselho e fui ver o filme. E é bom mesmo. Mas achei o final "contraditório". Ah explico melhor quando rolar um chopp - valeu?

    ResponderExcluir
  4. Eu tô doido pra ver!!! Tenho a trilha e achei o máximo.

    ResponderExcluir
  5. Eu tô doido pra ver. Tenho a trilha e achei o máximo.

    ResponderExcluir
  6. Vi Lua Nova e gostei. Te falei, é bobo, mas é legal.
    Não vi 500, mas antes quero ver Julie e Julia.

    Bjos!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir